A PRIMEIRA VEZ A GENTE NUNCA ESQUECE

Esses dias recebemos de uma leitora do Uva o seguinte e-mail:

Gostaria de saber se é possível e, caso seja, como faço para contar a história de como conheci minha namorada e me descobri lésbica aos 28 anos, separada de um casamento e com um filho. Sei que minha história não é muito diferente de inúmeras outras, mas como o Uva na Vulva foi um dos “responsáveis” pela minha quebra de tabus, dando início a essa história louca de amor, gostaria muito de contá-la aqui!

Um grande abraço e sucesso sempre!!!

A.

Uma vez que esse mesmo desejo já foi manifestado por outras leitoras, resolvemos criar uma seção especial e específica para isso.

Esse novo espaço tem como objetivo dar oportunidade às nossas leitoras de relatarem/contarem sua primeira experiência/descoberta afetivo-sexual lés.

E nada mais justo do que inaugurar esse novo espaço com a história de nossa leitora A. que nos motivou a criá-lo.

Se você também deseja contar aqui a sua história, sinta-se à vontade. Todas serão muito bem recebidas.

Sendo assim, convidamos vocês, nossas leitoras, a enviarem seus depoimentos, histórias com característica confessional, relatos de situações pessoais verídicas, etc., para nós.

Lembramos: para garantia da sua privacidade e da(s) pessoa(s) envolvidas, use preferencialmente nomes fictícios (nick names).

Os textos devem ser enviados para o e-mail do UNV com o título “Minha primeira vez“.

Conheça outras formas de interatividade com o UNV, leia nossa seção “Faça Parte Desse Cacho“.

Leia e inspire-se com a história de A. em nossa nova seção “In Vitis Veritas“, clicando no selinho aí ao lado (em nossa sidebar).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *