Lésbicas Saídas de um Livro

– A menina sabe o que é uma lésbica que até parece saída de um livro?
– Hã?
– O que é uma lésbica sa…
– Já ouvi da primeira vez, embora não tenha percebido de onde veio isso.
– Foi há bocado, na rua.
– O que aconteceu?
– Estavam as nossas vizinhas a conversar. E, ao passar, ouvi a dona Henriqueta a dizer que alguém «parece mesmo uma lésbica saída de um livro». A que se estaria ela a referir?
– Isso gostava eu de saber…
– Estariam a falar de nós?
– A que propósito? A menina já se esqueceu que connosco é a sua mana isto, a sua mana aquilo?
– Pois é. Aqui no prédio vivemos como duas irmãs.
– Claro. Duas mulheres a viverem juntas, só podem ser irmãs.
– Ou primas…
– Não seja mazinha…
– E então, em que ficamos? Que são lésbicas saídas de um livro?
– Sei lá. Andarão de texanas e esporas? Com tatuagens nas axilas?
– E que livros de lésbicas terão elas lido para se sairem com uma dessas?
– «O Preço do Sal» não foi, com certeza, que é demasiado ‘literário’… Além disso, nem sei se ainda há exemplares no mercado. Tem a certeza que não há nenhuma novela mexicana a dar de tarde na têvê?
– Mexicana? Enlouqueceu? Aí as mulheres são todas submissas e traídas, ou umas pestes que morrem no fim. Não, não foi por aí.
– Bem, não estou a ver a dona Henriqueta a ler romances, quanto mais lésbicos…
– Vou buscar o último número das Selecções. Talvez tenha saído lá alguma coisa sobre lésbicas que nos tenha passado despercebida.
– Ensandeceu… Nas Selecções?!?
– Por que não? Já contam histórias de prostitutas e de pessoas que venceram a batalha contra as drogas. Bem podem ter mastigado e compactado uma história de lésbicas.
– Nem em sonhos! Vai ver que foi alguma coisa que lhe contou a filha, aquela que adormeceu nas escadas na Queima das Fitas.
– A Francisquinha? Não seja tola. A miúda é praticamente uma santa. Um copito a mais na festa foi o máximo que lhe aconteceu na vida e, provavelmente, tudo o que irá acontecer.
– Pois… Eu bem vejo os olhos que ela lhe deita.
– A Francisquinha? Coitada da garota… Cora que nem um pimentão sempre que se cruza connosco.
– Bem, adiante. Volte lá a essa coisa do parecer uma lésbica saída de um livro.
– Será por ser lésbica? Será tão estranho como um livro?
– Olha… Não é que tem lógica? Até deve ser insultuoso, do ponto de vista da dona Henriqueta e da amiga.
– Sua lésbica! Até parece saída de um livro! Que tal soa?
– Um verdadeiro horror. Até arrepia…
– Ora aí tem. É um insulto.
– E nós aqui a darmos voltas à cabeça a pensar que elas se estavam a referir a nós…
– Pois é. Afinal é apenas um insulto: saída de um livro! Lésbica!
– Que maravilha. Está desvendado mais um caso da dona Henriqueta e das suas vizinhas.
– Pronto. Vou voltar às minhas leituras. Posso?
– Pode claro. Vou só ali abaixo à dona Henriqueta dizer-lhe que a menina tem um livro nas mãos…
– Isso é uma ameaça? Olhe que eu tenho cá uma ideia de outras coisas para ter nas mãos…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *